Terça-feira, 30 de Maio de 2006

...

dq.jpg

vou ver a praia onde o cavaleiro da triste figura disse

-Dulcinea del Toboso es la más hermosa mujer del mundo, y yo el más
desdichado caballero de la tierra, y no es bien que mi flaqueza defraude
esta verdad. Aprieta, caballero, la lanza, y quítame la vida, pues me has
quitado la honra

publicado por zéoliveira às 00:40
| comentar
|
Quinta-feira, 25 de Maio de 2006

...

Confortavelmente a ver o Mundo passar em redor.
Gosto da cor dos novos óculos. Os que a alma (?) me pôs nos olhos.

publicado por zéoliveira às 19:51
| comentar
|
Quarta-feira, 24 de Maio de 2006

bolo alimentar?

Os passos tortos dos que andam por aqui, à colherada nas malgas que se deixam. Se sopas e doces são o que nos faz o sangue, então porque mordemos?
Comermos, comer-nos. Porque é que tem de haver esta constante procura de corpos para nos alimentarmos, fazê-los desaparecer dentro de nós e a seguir chorar de raiva?
Talvez que a óbvia e cansada desculpa Darwinista sirva. Mas talvez que os corações e outros órgãos digeridos façam pensar que a vida não pode ser só os meios e os fins.
Talvez aparecer e depois viver seja tão violento que quase não se vê, uma cegueira do que somos e fazemos.

publicado por zéoliveira às 18:05
| comentar | ver comentários (1)
|
Segunda-feira, 15 de Maio de 2006

...

A salvo, no quente e claro sítio de onde pensamos que somos? Na esfera de conforto?
Se os pés estão sempre à mesma distância da cabeça, com mais ou menos curvas e secreções internas ou de outrém, pelo meio do caminho. Como é que se procura o que se esquece com o tempo? Se os pés soubessem caminhar mais sós. Assim os olhos se fechassem e a língua secasse e encolhesse.
Que grande jornada para fazer poucos metros. Dar tantas voltas para ficar no mesmo sítio.

publicado por zéoliveira às 23:28
| comentar
|
Domingo, 14 de Maio de 2006

...

Se a calma certeza de saber, quando nem todos os seres estão como era suposto ser, mudanças na seiva, na casca.
Mudanças sinceras e fundas, escuras como a noite. Mas reais como pedras.
Não é que porcos andem por aí de bicicleta, mas se reparares, algo vai mudando na natureza de alguns. Como que mudando de identidade, de ser, de ser-mos vivos e portanto atreitos a tudo o que é vermo-nos vivos, a mudar.
Se existe significação para existir, terá de ser com tocar, com mudar e com lama.

publicado por zéoliveira às 01:06
| comentar
|
Quinta-feira, 4 de Maio de 2006

...

As minas da mente, ilusões armadilhadas, emoções boas ou más. Pouco consistentes como o plástico de que se faz outras embalagens (que não esta – a mente).
Curioso nunca ter querido saber o que é psicanálise... já assim se descontrói e relativiza o que em menos de umas horas/dias/anos era mais verdade que ter mãe – na mente, evidente.
Tudo para dizer, realmente não posso acreditar em mim.
Estou como dá jeito em cada tempo, à mente, essa facção renegada do consciente.
O inimigo somos nós.

publicado por zéoliveira às 00:43
| comentar | ver comentários (1)
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
14

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. nome: poraqui | cor: pret...

. falta-me os tomates para ...

. tipover

. sempre

. blogs como este, do umbig...

. o mundo é como é

. She Wants Revenge - What ...

. ...

. um dia vais ver!

. 2 mulheres hoje no metro

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds